Vasos de honra

Padrão

Vasos de honra

2TM 2:20 Ora, numa grande casa, não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro; e uns, na verdade, para uso honroso, outros, porém, para uso desonroso.

É interessante como a Bíblia nos compara com vasos.

Os vasos são fabricados para guardarem algo dentro de si, pode ser água, bebida, areia, plantas, azeite, enfim, há muitas utilidades.

No passado usáva-se muitos vasos para guardar incenso, perfumes e óleos em geral, inclusive era um produto até caro de certa forma, pois era totalmente artesanal, e quanto mais detalhes, ou maior, mais caro seria, quanto maior sua capacidade interna, mais caro ele era, quanto mais vistoso, mais caro seria.

Na época de Jesus, você conhecia a classe social da pessoa olhando para seus vasos.

Mas o vaso mais precioso que a palavra de Deus faz menção é o vaso de barro, chamado ser-humano.

Deus chamou o profeta Jeremias para que ele fosse até a casa do oleiro, que estava sentado com a sua obra nas mãos, ele estava moldando um vaso…

JR 18:2 Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.

JR 18:3 Desci, pois, à casa do oleiro, e eis que ele estava ocupado com a sua obra sobre as rodas.

Deus faz com que o profeta veja o oleiro trabalhar com o barro, formando então um vaso…

Mas enquanto ele moldava o vaso, o mesmo se quebrou em suas mãos:

JR 18:4 Como o vaso, que ele fazia de barro, se estragou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme pareceu bem aos seus olhos fazer.

É uma palavra muito bonita e interessante, porém existe algumas fases para que esse vaso comece a ser moldado exatamente para que o mesmo não venha a se quebrar.

Deus neste momento quis mostrar para o profeta, o poder que o oleiro tem sobre o vaso, não explicando detalhes da produção daquele vaso.

Como tudo na vida, há fases que precisamos passar, vivenciar , experimentar, antes que o oleiro comece a moldar o vaso, existem algumas fases que precedem o momento de moldagem:

A primeira fase, é a fase da escolha:
Segundo alguns artesãos, existem cerca de duzentos tipos de barros conhecidos, entretanto, apenas oito tipos segundo os especialistas, são aptos para se produzir vasos.

Deus sabe o tipo de barro que ele escolhe, não é qualquer barro que serve… A Bíblia diz que Deus nos escolheu primeiro…

A fase da escolha é aquela onde Deus vai até o lamaçal e nos tira de lá, afinal, o barro vem da lama não é? Você lembra de que lama você veio? Deus investiu em você te tirando de lá pra você dar frutos. A fase da escolha é o momento em que Deus entra na nossa casa e diz: “vem comigo porque você é diferente, preciso de você”

A segunda fase, é a fase do curtimento:
Observe que em Jeremias 18.4 o vaso na mão do oleiro se quebrou, isso acontece quando não há curtimento.

Quanto maior curtimento, maior liga e quanto maior o vaso, maior o tempo de curtimento.

Quanto maior a obra de Deus na sua vida, maior será o tempo em que você deverá se apartar de algumas coisas, pessoas e situações…

Mais tempo você deverá passar meditando e avaliando sua vida diante de Deus.

O curtimento do barro, é aquela fase que Deus fala com todos, mas parece que com você é diferente, parece que não consegue ouvi-lo ou pelo menos, não o ouve nitidamente.
Todos os grandes homens de Deus na Bíblia, viveram um deserto em suas vidas, estavam sendo preparados, Deus estava investindo tempo neles…

Parece que você está sozinho? Parece que as coisas não estão acontecendo? É a fase do curtimento, você precisa passar por essa fase.

A terceira fase é a fase do pisamento:
Quando o barro é tirado do curtimento, talvez depois de muito tempo, ele é colocado em um local próprio para ser pisado, amassado.

Esse processo é necessário para que pequenas bolhas de ar que se formam no barro, possam estourar e assim ter uma massa homogênea.

Momentos da nossa vida que somos pisados, humilhados, desprezados e feridos, são para que as bolhas do orgulho, da soberba, da altivez, da vaidade e de todo tipo de pecado, sejam estouradas e aniquiladas da nossa vida.

Para que toda autoconfiança caia por terra e venhamos confiar naquele que está nos moldando, o oleiro Jesus Cristo.

Já pensou um vaso lindo como você, sendo moldado pelo oleiro e quando ele termina a obra, Ele olha pra você e tem uma baita bolha assim em você que se passar um mosquito explode?

Pois é, não pode, o vaso tem que ser lindo perfeito, se a bolha explode, fica um buraco no lugar, então, é melhor não ter bolha alguma.

A quarta fase é a fase dos acréscimos:
Para que se fabrique um vaso resistente, além dos três processos anteriores, é necessário também acrescentar palha fina, pedra triturada e restos de cerâmica à toda massa, pois sem essa mistura, o vaso se tornará fraco, não terá muita utilidade e qualquer coisa pode quebrá- lo.

Deus não quer vasos fracos em sua obra, Deus quer que seus servos e servas sejam fortes e resistentes.

Por isso, Ele investe em nós, e para sermos fortes, há necessidade de ser acrescentado em nós, santidade, humildade, compromisso, submissão, obediência, conhecimento e sabedoria e também os dons do Espírito Santo, pois se Ele está investindo, Ele quer algo em troca. São esses acréscimos que nos tornam fortes e úteis.

A quinta fase é a fase do molde:

JR 18:4 Como o vaso, que ele fazia de barro, se estragou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme pareceu bem aos seus olhos fazer.

Essa é a fase que Deus nos molda, o oleiro tem poder sobre o barro e molda conforme a sua vontade.

O barro não pode reclamar com o oleiro a forma que ele está dando, o criador tem poder sobre a criatura.

Uma vez que o barro foi entregue ao oleiro, ele decide a forma, onde e como ele vai usar aquele vaso.

RM 9:20 Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?

RM 9:21 Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para uso honroso e outro para uso desonroso?

JR 18:6 Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.

Tudo está debaixo da sua vontade e direção. Deus sabe exatamente onde cada vaso deve e vai estar.

Quando nos rendemos à vontade de Deus, como barro em suas mãos, Ele verdadeiramente pode mudar a nossa vida e a nossa história.

O molde, é Deus quem faz. E quando estivermos prontos, já moldados, Ele nos enche com a unção do Espírito Santo, para guardar o que há de mais precioso.

2CO 4:7 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não da nossa parte.

A unção que está ou virá sobre você, é para a glória de Deus e não sua, Ele é quem nos usa, da sua forma, do seu jeito…

Ele investiu, agora Ele espera algo em troca, o investimento que Deus fez, foi bom pra Ele, está dando resultado?

Você quer ser um vaso de honra ou desonra? Depende de você, deixe Deus te moldar, e Ele lhe fará um vaso de honra.

Bispo Dorianderson Torres.

Você nunca terá aquilo que não dá

Padrão

Na verdade, perdemos o que retemos e possuímos o que damos. A semente que comemos ou guardamos não pode se multiplicar. O que damos, porém, é como uma sementeira que se multiplica. Quanto mais damos, mais recebemos. Quanto mais semeamos, mais colhemos.

Dê o seu melhor ao Senhor, não tenha medo de “perder” nada para Deus, e veja como Ele lhe devolverá uma medida superabundante

Deus sempre lhe dará o que precisa quando você entregar a ele justamente o que necessita ou o melhor que puder.

Algumas ofertas na Bíblia são de fato marcante, pois seus protagonistas deram justo o melhor do que precisavam, e outras entregaram exatamente aquilo que representava a necessidade delas.

Todos nós temos necessidades, e embora elas se diferenciem em alguns pontos particulares, podemos afirmar que a maioria de nós luta para suprir três necessidades fundamentais:
Recursos financeiros;
Família;
Livrar-se de dívidas.

Pode não fazer sentido, mas algumas pessoas na Bíblia entregaram justamente sua necessidade a Deus para gerar aquilo que não tinham e alcançar a resposta aos que precisavam.

Ana precisava e queria ter um filho, então ela o oferta a Deus, dizendo: “Senhor dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhes deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida.” (1Samuel 1.11, ênfase minha). E Deus concedeu-lhe que gerasse a Samuel e, mais tarde, outros cinco filhos além deste.

Em 1 Reis 17, lemos a respeito da viúva de Sarepta. Ela tinha somente um punhado de farinha e um pouco de azeite, com os quais prepararia sua última refeição. Toda vez que Deus quiser levá-lo a ter uma experiência nova, ele não estará preocupado em sentir pena de você. Aquela mulher viveu uma experiência sobrenatural porque da comida que lhe faltava alimentou o profeta Elias. Ela deu o melhor daquilo que precisava e gerou para sua casa uma provisão fora de série.

Em João 6, uma multidão de aproximadamente 6 mil pessoas seguia a Jesus. O mestre pergunta a Filipe a respeito de como fariam para alimentar tanta gente. Ele confrontou os discípulos com o problema porque a visão do mundo, das pessoas que não têm experiências com Deus, é dispensá-lo com o seu fardo. Mas Deus sempre sabe o que fazer na sua dor.
Jesus ouve palavras de incredulidade porque os discípulos simplesmente não reconhecem seu poder. Tem gente que não se dá conta do que Jesus está fazendo, não reconhece a presença dele. Você tem se dado conta do que o mesmo Deus que operou na sua vida uma, duas, dez vezes, continua agindo agora?
Todas as vezes que ofertarmos aquilo de que precisamos, isso voltará para a nossa vida multiplicado, pois ele responde além da nossa necessidade. Jesus pegou aqueles cinco pães e dois peixes, que aparentemente não era nada, e transformou em alimento para milhares de pessoas.

Aí está o cerne da liberação – nos desprender do que para nós não é suficiente e colocá-lo nas mão de Deus, para que a autossuficiência de Deus venha sobre a nossa oferta e a transforme em abundância. Você saberia dizer quantas palavras o Senhor Jesus cita sintetizando os quatro evangelhos? Dezesseis. A metade delas refere-se a dinheiro, mas ele não diz que o dinheiro é mau. Sua única admoestação é, em outras palavras, o seguinte: Não coloque no dinheiro a sua confiança, não deixe que ele substitua Deus em sua vida, não troque a fonte.

Jesus sabia que se não tratasse essa questão com a igreja, seríamos dominados pela visão que tem massacrado o Brasil: pobreza, ruína, miséria e escassez. Isso é tão forte que a nossa mente por vezes resiste a mudar.

Muitas vezes você semeia, mas não colhe porque a sua mente não muda, porque sua boca rejeita aquilo que você quer. É o que eu digo que chama à existência aquilo de que necessito.

Você nunca vai receber aquilo que não dá. Essa palavra serve para nos levar a outro nível de compreensão acerca dos dízimos e das ofertas, para que você comece a semear no grau que deseja (Salmo 20).

Leia Jó 36.11 e observe o que Deus tem reservado para o seu futuro. O problema é que ouvimos e não servimos com nossos bens, com nossos recursos, não servimos com o melhor daquilo que Deus coloca em nossas mãos. Em nenhum lugar da Bíblia encontramos a garantia de que iremos viver a promessa sem obedecer, pois toda promessa está debaixo de uma condição. No caso da promessa da prosperidade financeira, o princípio é dizimar e ofertar.

Será que Deus fica triste quando prosperamos? A resposta está no Salmo 35.27: “Glorificado seja o Senhor, que se compraz na prosperidade do seu servo!”
“O Senhor conhece os dias dos íntegros (…). Não serão envergonhados nos dias do mal e nos dias da fome se fartarão.” (Salmo 37.18-19).

Você está enfrentando luta, adversidades e tribulações? Até nesse dia o Senhor está dizendo que vai haver fartura em sua casa. Não há estigmas que tenham estabelecido na sua vida que sejam maiores do que a sua decisão de confiar em Deus e viver o que Ele tem reservado para você.

A mesma decisão que fez aquele menino liberar seu pequeno lanche é que temos de tomar a cada dia. Nada vai acontecer em nossa vida até que deliberemos sobre este assunto. Primeiro se toma a decisão, e em seguida coloca-se em prática o que decidimos. Isso é o que vai mover o coração de Deus. Tenho que entregar aquilo de que preciso. Aquele rapaz acreditou que não perderia nada colocando o que tinha nas mãos do Senhor Jesus. Quando teremos essa mesma fé?

Pecado IMPERDOÁVEL

Padrão

MC 3:28 Em verdade vos digo: Todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, bem como todas as blasfêmias que proferirem;
MC 3:29 mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão, mas será réu de pecado eterno.

Fiquei analisando essa passagem e pedi orientação para Deus para poder compreendê-la em sua totalidade,  pois me perguntei como seria possível blasfemar contra o Espírito Santo,  ou como seria tal blasfêmia. 

Essa passagem relata um momento na história  do ministério de Jesus, onde ele estava realizando a obra e libertando as pessoas dos espíritos  imundos,  e os escribas e fariseus começaram a dizer que Jesus expulsava os demônios através do maioral dos demônios,  ou seja,  Belzebu. (Mc3.22).

Jesus responde que Satanás não pode expelir a Satanás,  pois um reino dividido não subsiste. (Mc3.24)

Com base nesses versículos entendemos o que Jesus disse; Jesus fala claramente que os escribas denominaram o Espírito Santo de Belzebu, o maioral dos demônios.

Todas as vezes que alguém questiona,  ou melhor diz que o agir do Espírito Santo através da vida de uma pessoa, é  algo falso ou carnal,  essa pessoa deve ter a plena consciência do que está falando,  pois se ação ou direção em questão  for realmente do Espírito Santo,  ela (a pessoa) acabou de blasfemar contra o Espírito Santo dizendo que Ele (o Espírito Santo),  é carnal e que a direção está errada,  ou seja,  está dizendo que o Espírito Santo não sabe o que está fazendo.

Outro detalhe que me chamou a atenção é  que ninguém fica falando esse tipo de coisa do Espírito Santo (pelo menos não conscientemente) e que todos os pecados são perdoados, menos a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Sendo assim,  fui procurar na Bíblia, qual outra forma de blasfemar contra o Espírito Santo,  e o que encontrei foi o pecado da rebelião,  o pecado de rebelião,  não tem perdão,  aquele que comete,  perde a sua salvação,  pois a Bíblia diz que entrou o pecado no coração de Lúcifer e ele quis ser mais do que Deus,  quando ele fez isso,  ele já havia contaminado a terça parte dos anjos do Senhor para se voltarem contra Deus.

Depois que caiu em pecado, Satanás partiu para expandir sua influência através da tentação de Adão e Eva, que tinham sido criados recentemente, para levá-los a se unirem a ele em sua rebelião contra Deus.

A Bíblia diz que Deus não poupou os anjos quando pecaram,  e prova disso é  que Deus não perdoou à Lúcifer, o seu querubim ungido,  Deus não perdoou Adão e Eva, impedindo-os de chegarem perto da Árvore da vida (A Tipificação de Jesus Cristo). 

Se Adão e Eva tivessem comido da árvore da vida, eles teriam acesso a vida eterna, mas Deus, não perdoou o pecado da rebelião e deixou os dois perdidos e sem direito a vida,  dizendo,  certamente morrerás, pois a rebelião diz claramente que há uma oposição à obra de Deus e obviamente ao agir do Espírito Santo,  pois a rebelião contesta tudo aquilo que diz respeito a Deus e a sua obra.

Quando não concordamos com uma direção vinda do Espírito Santo (Deus direciona o seu corpo que é  a Igreja, através do Espírito Santo), estamos agindo através do espírito do anticristo. E o pior de tudo,  é  que a pessoa que não concorda, tenta convencer os outros a não concordarem também,  ou seja,  praticando a rebelião que é a oposição ao Espírito de Deus.

Algumas pessoas gostam de atacar a Igreja, porém se esquecem que a Igreja é o corpo de Cristo, ou seja, estão atacando o corpo de Cristo, estão atacando,  os homens de Deus e automaticamente estão atacando a ação do Espírito Santo, uma blasfêmia ao Espírito de Deus, não há perdão.

Com todas as falhas e pecados,  os homens têm acesso ao perdão de Deus,  e o único digno de julgamento é Deus,  nem mesmo Jesus Cristo ocupa essa posição,  os homens não podem se vingar dos erros de outros homens,  pois o Senhor  diz em RM 12:19: “Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.”

Deus deixou essa direção para que as pessoas salvas não perdessem a salvação usando de julgamentos, pois o julgamento pertence à Deus.

Todas às vezes que julgamos, estamos dizendo que o Espírito Santo não tem capacidade de fazer nada,  todas às vezes que falamos contra a obra do Senhor, estamos falando contra a obra do Espírito Santo,  todas às vezes que falamos contra a Igreja, estamos falando contra o corpo de Cristo, todas às  vezes que falamos contra alguém que está na direção de uma igreja,  estamos falando contra o anjo daquela igreja,  que foi escolhido e determinado por Deus através  da ação do Espírito Santo,  pois a Bíblia diz que não há autoridade que não seja dada senão por Deus.

Jesus disse que todos os pecados são perdoados,  mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo,  não terá perdão,  mas será  réu de pecado eterno.

A rebelião é  um dos pecados que mais tem levado o povo “cristão”  para o inferno,  pois faz a pessoa dar lugar à  carne,  a ira e ao próprio Satanás, dando ouvidos ao espírito do anticristo e sendo semelhante a ele.

A igreja não pertence aos homens,  mas a Deus,  é  o seu corpo na terra,  é  o instrumento usado pelo Espírito Santo para convencer a humanidade dos seus maus caminhos,  não atrapalhe a ação do Espírito Santo,  não atrapalhe a obra de Deus por causa de capricho próprio,  a nossa luta não é contra carne ou sangue,  mas sim contra principados e potestades nas regiões celestes.

Quem luta contra carne e o sangue é  Satanás,  não a Igreja. Cuidado,  em apenas um capricho ou falta de entendimento,  você pode por em risco a sua salvação,  ore,  apresente à Deus os seus questionamentos e insatisfações e deixe Ele cuidar do resto,  na vida eterna,  não haverá divisões, se não estivermos em paz uns com os outros,  não poderemos habitar a eternidade,  pois não tem como subir apenas um braço ou uma perna,  mas deverá  subir para a glória,  o corpo todo,  completo.

Que Deus abençoe a sua vida abundantemente.

Bispo Dorianderson Torres.
http://www.comunidadefogodoespirito.com

Cuide bem do seu pastor

Padrão

Vivemos tempos difíceis na vocação pastoral, tanto para a Igreja como para o pastor, assim um dos maiores desafios que enfrentamos em nossa vida ministerial é manter um equilíbrio adequado das nossas prioridades.             

Como lideres precisamos desempenhar várias funções, na permanência fiel ao chamado de Deus. Estas funções requerem que sejamos estudantes da Palavra de Deus e vida de oração; temos de liderar a igreja, trabalhar muito para pregar e ensinar a Palavra, de modo que as ovelhas estejam continuamente sendo transformadas por esta palavra na imagem de Cristo.  Temos que realizar a obra de evangelista e dedicar-nos à obra de lidar individualmente com os membros da igreja. Tudo isso e muito mais está incluído na obra de servir a Cristo como um pastor ou líder.              

Deus nos chamou para ser pastores. Esta é a nossa chamada vocacional e ocupa a maior parte do nosso tempo. Constantemente, nós admiramos do fato de que Deus nos deu o privilégio de servi-Lo desta maneira. O ministério pastoral é a chamada vocacional mais sublime do mundo. Nossas responsabilidades pastorais têm precedência sobre quaisquer atividades que envolvam recreação ou não façam parte do ministério. Tudo o que está envolvido no pastorear o rebanho de Deus constitui o nosso dever. Neste ministério, a nossa tarefa mais importante é trabalhar fielmente na pregação da Palavra e na  oração.              

Existe uma solidão inevitável que acompanha o nosso pastorado. A maior parte do nosso trabalho pastoral pode ser feita somente quando estamos sozinhos com Deus. Sem esse tempo de intimidade com Deus, o tempo gasto com as pessoas não terá muito valor.              

Quando temos de fazer certas escolhas difíceis, fazemos baseados nas prioridades do nosso chamado. Então, nós podemos descansar nosso coração sabendo agir com fé, fundamentando  nas  exigências  que Deus tem feito para a nossa vida. Obrigam-nos a sermos os únicos da igreja que conhecem o bastante acerca de Deus. Colocam-nos a lutar com Deus, permitindo que saiamos apenas quando estivermos machucados e surrados, a ponto de sermos bênçãos.              

Nestes anos de ministério, temos encontrado companheiros de ministério que estão sangrando e chorando pelo cuidado de sua igreja.             

Nosso grande apelo a Igreja é: Cuide bem do seu Pastor.

1. Cuide orando por ele. Os pastores genuínos desejam, acima de tudo, as orações do seu rebanho. Devemos orar pelos pastores, e especialmente que tenham condições de pregar a Palavra.  Pastores são humanos, frágeis e pecadores como os demais. Sua tarefa é difícil. O pastorado desgasta e esgota um homem. Pastores são o alvo prioritário do diabo e seus anjos, pois sabem que se conseguirem derrubar e inutilizar um pastor, atingem uma grande vitória. Portanto, os crentes deveriam orar de forma muito especial por seus pastores, para que o Senhor os protegesse de toda obra maligna, e que lhe concedesse a Palavra, facilidade e capacidade para transmitir a mensagem de Deus, confiança e ousadia, sabedoria e conhecimento para expor “o mistério do evangelho”. 

2.Cuide investindo no Pastor. Dê-lhe condições de estudar, reciclar, aprender mais, porque no fim isto será revertido como fruto para a vida da igreja.

3.Trate-o com honra e respeitabilidade. Ser amável, dócil, cortez com o pastor de vossas almas. Nós não posdemos tratar o pastor como qualquer pessoa, ele é uma pessoa muito especial desempenhando uma grande missão dada diretamente por Deus. Sabemos que podemos ser amigos do pastor, mas sem perder o respeito e ignorar sua autoridade pastoral sobre as ovelhas do seu rebanho. Mostre que embora o pastor seja seu amigo, merece respeito e honra. Honra e respeito são características daqueles que amam o Pastor.

4.Remunere bem o seu pastor. O pastor para produzir bons frutos precisa ser bem remunerado. Paulo exorta a Igreja de Corinto sobre o sustento pastoral (2 Co. 1:8-9). O Pastor precisa dessa tranqüilidade financeira, para dedicar-se de corpo e alma ao serviço do Reino. Muitas vezes queremos nivelar, “por baixo”, o sustento financeiro pastoral pela média da renda familiar dos membros. Desenvolva na igreja uma mentalidade que possa contribuir para que o pastor e sua família tenham condições financeiras de realizar um trabalho sem maiores preocupações nesta área.

5.Lembre-se dos dias especiais na vida do seu pastor. Duas datas são importantes na vida do pastor: o seu nascimento e o dia do Pastor (2o. domingo de junho).  O pastor e sua família também celebram o dia do aniversário, de casamento, e tantas outras datas significativas. Lembre-se destas datas tão importantes. Faça um cartão da família e envie para o pastor. Faça uma chamada telefônica e expresse a alegria da sua família por aquela data na vida do seu pastor e de sua família.

6.Não critique o pastor perante os seus filhos. Pastores têm falhas e limitações, mas não podemos destruir a imagem positiva que nossos filhos devem cultivar para com o líder espiritual da sua igreja. Se há algum ponto que não concorda, procure-o e diga-lhe, em amor, das suas opiniões e discordâncias.

7.Participe dos trabalhos da igreja. Leve a sua família a participar dos trabalhos propostos pelo pastor. Ofereça-se para ser um voluntário num novo projeto. Convide outras famílias para o trabalho da igreja. Estas atitudes proporcionarão alegria ao pastor, com certeza.             

Cuide bem do seu pastor! A nossa proposta é que, através destas e outras atitudes, nossas igrejas possam ajudar a tantos pastores que têm sido bênçãos para nós e para nossos familiares.              Um pastor é um ser humano comum, com as mesmas necessidades de todos e sujeito à erros.           

   

(Autor: Ashbell Simonton Rédua) 

Prova, preço ou tratamento?

Padrão

Mensagem ministrada no domingo dia 17/08/2014 pelo bispo Dorianderson Torres.

PROVA:

A provação chega em nossas vidas para que a vitória seja alcançada, para que a promessa seja cumprida, para que nós como seres humanos sejamos aprovados nas nossas atitudes, na nossa fé e na nossa determinação e perseverança.

Muitas coisas que por muito tempo parecem estar inerte, ou seja parece que nada acontece, derrepente tudo muda e na maioria das vezes muda para pior aos nossos olhos, e isso, é necessário para sairmos da posição de conforto e pararmos de empurrar as coisas com a barriga, como diz o ditado popular, isso é necessário para pararmos de viver na mesma situação de sempre, pois Deus tem nos chamado a viver em novidade de vida e não nos tem dado espírito de covardia, mas de paz, de esperança, de fé e determinação.

É nesse momento que muitas vezes começa a nossa prova e que muitos de nós não conseguimos entender e reclamamos o tempo todo por estarmos nela.

Muitas pessoas vivem murmurando dizendo estar na prova sem mesmo entender o significado de provação.
A Bíblia diz assim:

TG 1:2 Meus irmãos, tende por motivo de grande alegria ao passardes por várias provações,

TG 1:3 sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança;

TG 1:4 e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma.

Estar em uma prova ou momento de provação é algo sublime e inexplicável, é a manifestação da glória de Deus, é um momento que deveríamos estar em constante oração e adoração, pois se Deus está nos colocando em prova, é porque Ele quer nos tirar da situação em que estamos e quer nos colocar em outra situação muito melhor, em um patamar muito mais alto, Deus quer nos abençoar, quer realizar em nós o seu plano, o seu objetivo em nossas vidas, é momento do amor de Deus ser derramado sobre nós, é um momento em que Ele quer nos mostrar o seu cuidado, o seu carinho, é um momento em que Ele quer mostrar para nós o tamanho e a capacidade da nossa fé.

Uma vez que passamos pela provação com alegria, agradamos a Deus, pois estamos lhe mostrando que temos fé, que acreditamos que O Senhor é aquele que cuida das nossas vidas, e temos a plena consciência de que em breve, se tivermos paciência e formos perseverantes, Ele, Deus, nos aprovará e nos dará muito mais do que imaginamos ou esperamos, ou seja, seremos aprovados pelo Senhor, o nome dele será glorificado e nós seremos exaltados através da sua onipotência.

Muitos acham que estão na prova mas na verdade não estão.

Estão é pagando um preço por algo que preferiram adquirir com as próprias mãos,  preferiram adquirir sem a autorização de Deus.

PREÇO:
É o valor daquilo que adquirimos.
Será que estamos dispostos a pagar o preço?
Você quer pagar o preço para ter o que deseja?

A Bíblia diz em Romanos 6.23 que o salário, a remuneração, o valor, o preço do pecado,  da desobediência é a morte.

Ou seja, preço é o valor pago por algo adquirido, ou que será adquirido posteriormente.

Muitas vezes nós pagamos caro para adquirir algo que não deveríamos ter,  e se não devemos ter e ainda assim assumimos que vamos pagar o preço,  então entramos em desobediência, ou seja,  em pecado.

Pagar o preço é totalmente oposto à bênção, que quer dizer, graça, presente imerecido.

A bênção é DADA e não COMPRADA. Aquilo que compramos pagamos o preço, o que ganhamos, apenas usufruímos.
Muitas pessoas estão  pagando caro para ter algo que se esperassem em Deus,  receberiam de GRAÇA  E INFINITAMENTE MELHOR.

Mesmo que você usufrua daquilo que comprou, você terá que pagar por isso ou antes da compra ou depois dela, e às vezes o valor a ser pago é muito caro para se ter o que queremos, e muitas vezes, não vale a pena pagar tão caro,  o custo X benefício é  desproporcional, uma vez que Deus provê tudo para todos que andam segundo a sua vontade.

TRATAMENTO / CUIDADO:
Quando o corpo fica doente, precisa de um tratamento, o tratamento vem após uma escolha errada, uma desobediência, ou a um ataque do inimigo por falta de vigilância,  o tratamento vem quando de alguma forma o corpo está debilitado,  tanto o corpo físico como o espiritual.

Todo tratamento tem um custo, um preço e geralmente, o tratamento gera dor, pois existe uma ferida ou uma doença que precisa ser extirpada e que geralmente causa dano onde estava e precisa de cuidados especiais, de tratamento.

A ferida como já disse,  pode ser causada por uma desobediência, por pisar em lugares não permitidos ou colocar as mãos e tomar posse de coisas que não eram para nós, a ferida pode ser causada também por um ataque do adversário por falta de vigilância da nossa parte.

Ou você paga particularmente, ou o seu convênio paga e além de pagarmos com o dinheiro, ainda pagamos com o sofrimento durante o tratamento.

PROVA = BÊNÇÃO DE DEUS, PROMESSA CUMPRIDA, SONHOS REALIZADOS

PREÇO = GERA TRATAMENTO

TRATAMENTO = GERA PREÇO

Por isso deixo claro, não murmure por estar na prova,  pois prova é  bênção  Deus,  reveja a sua situação,  veja se o que você está vivendo não é o pagamento de um preço por algo adquirido sem a permissão de Deus,  ou ainda,  veja se você  não está sendo tratado por Deus, veja se você não está passando por um momento de tratamento para que as suas feridas sejam saradas.  Analise a sua vida,  e saiba: se a prova chegou,  a aprovação  vem em seguida  e junto com ela,  vem a honra e a exaltação  para que você viva um novo tempo em sua vida e o nome do Senhor seja glorificado.

Deus te abençoe grandemente em nome do Senhor Jesus Cristo.

Bispo Dorianderson Torres.

Apenas os Salvos ouvirão a Trombeta!

Padrão

Quando a trombeta tocar, apenas os salvos a ouvirão, pois o espírito, vai querer desesperadamente voltar para Deus e para sua casa. Mas os que não se encontrarem salvos, que não tiverem a sua “passagem carimbada” não a ouvirão, o espírito que estiver ocupando esse corpo, fará o corpo cair prostrado de joelhos e haverá ranger de dentes, ser crente, ser católico, ser espírita ou fazer parte de qualquer religião ou denominação não dará condição para ouvir a trombeta, como disse, apenas os SALVOS EM JESUS CRISTO a ouvirão, é a única condição para a garantia da vida eterna – Deus te abençoe.